Diário de Bordo

É mais um serviço do site ~ Coisas do Interior ~ um espaço dedicado para quem quer compartilhar suas experiências em viagens :)

Conte pra gente como foi a sua melhor aventura! 

 

Expedição Canastra 2018 | Um banho de lucidez e aventuras <3

por Téia Camargo

 

No feriado de finados, encarei um fim de semana cheio de aventuras, águas frias, energias telúricas, chuva e um bocadinho de lama. Cenário perfeito.

 

Fui com um grupo de 09 pessoas – somente 01 amiga e o restante, pessoas desconhecidas. Eram 02 veículos 4x4. O clima estava quente, entre nublado e sol quente, é primavera!

 

Saímos de Pirassununga, interior paulista para Delfinópolis, Serra da Canastra, MG. Quem nos guiou e abriu os caminhos foi a Terceira Margem Aventuras, com o Douglas e o Sérgio.

 

Serra da Canastra tem em média 200 mil hectares e abrange 6 municípios: São Roque de Minas, Vargem Bonita, Sacramento, São João Batista do Glória, Capitólio e Delfinópolis.

 

Foram quase 300 KM até chegar num vilarejo chamado “Olhos d'Água”, distrito de Delfinópolis - já um prenúncio do que encontraríamos pelas águas que estavam chegando. Aproveitamos para tomar água no boteco e fiquei tentada a tirar fotos da pracinha… sim, sou fotógrafa apaixonada por Histórias.

 

Seguimos viagem até a Cachoeira Águas Claras – pense num lugar deslumbrante, fresquinho, que te abraça logo no primeiro instante! Pois é, Águas Claras é assim. [Viver é etecetera. [Guimãres Rosa]

Cachoeira Águas Claras, Serra da Canastra, MG

Importante destacar a atuação de nossos condutores Sérgio e Douglas: ao chegarmos na Cachoeira, recebemos vários avisos – cuidados e atenção especial com os animais peçonhentos, com a mata, consigo mesmo, com tudo que está acima e abaixo de nós.

 

Parece bobo falar assim, mas o choque de realidade de quem vem da área urbana ao entrar na Natureza é brutal. Não produzir lixo a partir desse momento, é uma das metas do grupo. Não pegaremos nada desse santuário e nem deixaremos nada, a não ser a gratidão e a alegria de estarmos juntos nessa trajetória.

 

As dicas de segurança são fundamentais nesse momento e as Histórias do local… ahh... as histórias, são as minhas preferidas!

 

Andamos alguns quilômetros com a mata atlântica de um lado e o cerrado, do outro. A diferença é visível e incrível.

Os condutores, um na frente do grupo e outro no final vão falando um pouco da biologia – fauna e flora da região… das pessoas e das trilhas, que são inúmeras e se perdem no horizonte. Dica: Não se distancie muito do grupo, o risco de se perder é real.

 

Finalmente, entramos nas “Águas Claras”, água gelada e refrescante… delícia! Nadamos, fizemos um lanche e, de repente, Sérgio avista um maravilhoso Urubu Rei! Péra… ele não está sozinho! Tem mais três pendurados no galho à esquerda e mais e dois menores, à direita.

1.png

Fiquei encantada. Segui à risca a orientação e fiquei quieta fotografando… cenário perfeito: Cachoeira ao lado, mata fechada acima e o sol a pino. O pássaro dançou para ser fotografado, deu uma volta inteira de asas abertas e tranquilamente se posicionou de frente. Ao lado, sua mãe o observa atentamente, com a tranquilidade de quem sabe proteger. Valeu o meu dia! Fauna e flora exuberantes, cores e formas inesquecíveis. Seguimos a trilha para ir para a pousada. Caminhada leve e alegre pra gente chegar perto das montanhas.

 

2º dia: Logo cedo, café da manhã reforçado da roça, com muito pão de queijo (que saudade!) e leite fresquinho. Lá vamos nós para a trilha da Cachoeira Maria Concebida. Um tanto de surpresas: logo de cara, vamos atravessar uma ponte rústica com altura de pelo menos 8 metros. O suficiente pra dar um friozinho na barriga. Tem que passar uma pessoa por vez. Por que? Oras, pra ponte não cair! Passamos todos em total segurança e seguimos na trilha. Paisagem de tirar o fôlego, caminhada curta, porém, intensa que exige concentração e um certo preparo físico pra não sentir (muitas) dores no final do dia… e quando a gente menos espera, salta a vista uma queda deslumbrante! Que cachoeira linda!! Essa parada merece uma atenção especial!

3.png

Eu não sei nadar, sempre tive vontade mas por vários motivos, sempre relutei. O grupo nadou para o outro lado da cachoeira que se divida em mais uma queda. Fiquei com os pés n'água curtindo a paisagem. Recebi um convite. - Vem pra cá! Eu vou te buscar. Frio na barriga novamente. Deu pra entender que ali era fundo, dava pra saltar do alto das pedras. Sérgio perguntou novamente e eu acabei aceitando a ajuda para “nadar com ele”. Foi uma das experiências mais legais, sempre soube que água é sinônimo de liberdade e realmente, foi. Ele me deu a calma necessária e a confiança nadou! Descobri que é possível enfrentar o desconhecido se tiver calma e confiança no outro. Destaco aqui a flora do local, a quantidade de flores do cerrado, suas cores e texturas é de uma beleza sem igual, além da força inabalável das quedas d'água. É um prisma infinito de cores e suavidade, que só a água doce sabe proporcionar. Mais uma vez, valeu o meu dia.

Domingo amanhecendo e lá vamos nós para o alto da Serra Preta, quase chegando no céu! 100% off road. A chuva estava chegando… Subimos, saculejamos, passamos por pontes e pinguelas, encontramos vacas, uma infinidade de aves cantando sem parar… lá no alto o “Condomínio de Pedras” - Uma enorme galeria rochosa, esculpida pelo vento, com vegetação de cerrado e uma paisagem verdinha, por causa da chuva. Altitude média: 689 metros.

 

Mais uma surpresa maravilha! Douglas, nosso Condutor achou vestígios do Lobo Guará… o que pra mim é um deleite! Sempre quis estar perto dele, desde criança o Lobo permeia meu imaginário. É um animal típico do Cerrado e está acostumado aos ambientes abertos das savanas sul-americanas. Na Canastra é possível encontrá-los e, sobretudo, respeitá-los. Pra isso, é preciso conhecer os caminhos certos!

 

Finalizamos essa Expedição com um profundo agradecimento à Natureza! É possível e viável praticar o turismo sem agressões ao meio e à comunidade. Está claro para todos nós que a Experiência de cada um do grupo, precisa acontecer e quando acontece, o coletivo sai ganhando em todos os sentidos. Outro detalhe que preciso ressaltar é a sintonia dos nossos condutores Douglas e Sérgio, que nos atenderam prontamente e com competência. Não basta “só conhecer as melhores trilhas” se não souber entender as vontades e necessidades de grupos heterogêneos.

Outra dica preciosa, aproveitem para “desligar o celular”. A natureza possibilita tantas conexões que faz aguçar os sentidos, principalmente, o paladar :) a culinária mineira é um capítulo a parte.

 

Enfim, a aventura é permitir-se!

Téia Camargo – jornalista e produtora de conteúdo, amante da natureza.

Cachoeiras, Trilhas e Caminhadas

Cidade oferece em média, 20 pontos turísticos, sendo pelo menos, sete com entrada gratuita. 

 

Ha ainda as trilhas pelo Morro do Camelo, a Cachoeira da Ponte, a Cachoeira do Salto e os restaurantes rurais.

 

A partir de R$ 7,00, encontra-se cachoeiras, como a Cachoeira Roncador, a Gruta do Índio, a partir de R$ 50, e outras cachoeiras a partir de R$ 40, que são cachoeiras exclusivas.

 

* Fique Atento|a, nossa Equipe vai  visitar a Gruta do Índio, em breve!

 

Cachoeira da Ponte Amarela - entrada gratuita

 

Cachoeira Ponte Amarela - Reserva ecológica com uma área de 15.000 m², a cinco minutos do centro da cidade, ideal para caminhadas, onde o visitante pode contemplar várias espécies da vegetação nativa e preservada. O visitante poderá compartilhar da agradável companhia do curso d’água sobre rochas, do córrego da Olaria, que oferece logo na entrada do parque, uma corredeira muito bonita, e uma piscina natural que mais se parece uma “prainha” com várias pequenas cachoeiras no seu percurso, ideal para banhos de sol e meditação. A ponte amarela também agrada todas as idades, principalmente as crianças em sua “praínha”. Fonte: www.chalemacauva.com.br

ponte_amarela2.png
analandia2.jpg
ponte_web2.jpg
ponte_amarela8.png
ponte_amarela2.png

Trilhas para Caminhadas e Bicicletas

Os trajetos estão por toda a cidade :) Um dos pontos positivos, é que dá pra andar a pé por boa parte da área urbana e rural com segurança.

* Nossa Equipe vai registrar em fotos as principais trilhas para Caminhada. #VemComigo